Textos

AS NOITES DE SAIGON 
Tão calma desce a noite, vem a lua,
Teu vulto desenhado na janela
Mostra o corpo na penumbra toda nua,
Trazes na mão uma rosa amarela.

Depositas, com cuidado em nossa cama
Onde deitas para a noite de amor,
Em teu peito ofegante arde a chama,
Queima em brasa teu desejo e paixão.

No silêncio eu escuto o teu gemido
Que sufoco com um beijo em tua boca,
Tuas coxas, num abraço me apertam.

Sobre teu corpo eu encontro o sentido
Do grande amor, na aventura muito louca
E da loucura que teus beijos me despertam..
Claudio Spiazzi
Enviado por Claudio Spiazzi em 22/11/2017
Alterado em 22/11/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários